Início Alunos produzem livro de poemas em escola de Votorantim        Votorantim, 13 de outubro de 2019  -   19:13:19                                 
Alunos produzem livro de poemas em escola de Votorantim PDF Imprimir E-mail
Qua, 17 de Dezembro de 2014 08:53

Para encerrar o ano letivo, alunos da Escola Municipal “Izabel Ferreira Coelho”, em Votorantim, presentearam os pais com um livro de poemas totalmente produzido por eles. O trabalho foi sendo preparado durante todo o ano, com pesquisa, exercícios e muita dedicação, inspirado na proposta pedagógica da rede municipal de ensino que é voltada à formação de leitores. Neste caso específico, além de leitores, o projeto incentivou a formação de escritores e ilustradores, já que as crianças estiveram envolvidas em todas as fases da produção do livro.

 

O resultado foi apresentado aos pais na última sexta-feira e celebrado como uma conquista de cada criança e de toda a turma do 4º ano B, sob a coordenação da professora Aparecida Borges de Oliveira. “A conclusão é um momento especial, mas cada etapa foi muito importante e gratificante”, comenta. A maior satisfação para Aparecida é o depoimento de crianças revelando que gostaram de conhecer um novo gênero literário e que pretendem continuar lendo e até escrevendo poemas. “Para eles foi um trabalho com muitas descobertas com evolução quanto à criatividade, ortografia, expressão e o envolvimento com um gênero que eles não conheciam, que são os poemas”, destaca Aparecida.

 

Para alcançar o resultado, ela escolheu textos apropriados à faixa etária das crianças e usou recursos visuais com o mesmo objetivo.Foram trabalhados poemas cinéticos, que têm uma estrutura diferenciada com os versos e desenho formando uma composição não apenas escrita, mas visual. Os escritores Sérgio Capparelli e Millor Fernandes foram estudados para familiarizar a classe com o estilo e os desenhos de Romero Britto foram escolhidos para inspirar as composições. As crianças criaram treze poemas cinéticos com temas do universo infantil, como futebol, flores, comidas preferidas, animais de estimação, o que garantiu uma forte identidade à obra. O livro também tem capa, dedicatória, apresentação e outros componentes de uma publicação.

 

João Vitor dos Santos de Jesus, de 10 anos, fez um poema sobre futebol e também ficou responsável pela capa do livro, o que deixou a mãe, Cilce Dias dos Santos de Jesus, muito orgulhosa. “Não imaginava que ia ser parte de um livro de verdade, ficou muito bonito. As crianças são muito inteligentes e meu filho caprichou”, elogiou. No poema, João Vitor fala de jogadores reais e narra um gol de Neymar, com cruzamento de David Luiz, seus ídolos.

 

A flor sorridente” é o título do poema de Maria Eduarda Rodrigues Brito, de 9 anos, que escreveu sobre sentimentos bons que causam sorrisos. “Amor e alegria. A flor é bonita e sorri porque é feliz”, comentou a aluna para explicar que gostou muito do projeto e pretende continuar lendo poemas. Desenhando a própria mão em uma folha, Julia Gimenes, de 10 anos, resolveu fazer o seu texto sobre tantas coisas que consegue fazer graças às mãos e diz que ficou orgulhosa do resultado.

 

Emilly e Nicoli Paiva, ambas de 9 anos e da mesma família fizeram o poema inspirado na cachorrinha Mel e criaram “Xodó”. Elas confessam que foi um pouco difícil compor e fazer o texto caber no desenho de um cão, mas adoraram a experiência. “A parte que mais gosto é quando o Xodó fala: Obrigaduuuu!”, revela Nicoli. Escrever sobre comidas foi a escolha das amigas Maísa Almeida, 9 anos, e Isabele Bueno, de 10. “Batata e Coca-cola” é o título do poema cheio de rimas bem feitas e entrosamento das meninas. “Bebo pouco, bebo o dobro, isso é tão gostoso” é o trecho preferido de Maísa e Isabele gosta de “Dentro da caixinha tem amor e alegria”.

Outra mãe que ficou muito feliz com o trabalho do filho foi Eleandra Sato. Ela conta que Carlos Alexandre, de 9 anos, gosta bastante de ler, mas se deu muito bem também na criação do poema. A atividade foi feita com o colega Leandro Tada e foi inspirada no universo. “Sol, Terra e Lua” tem três peças que o aluno explica e valoriza. “Gostei muito de fazer e da parte que conta o que aconteceu com a Terra depois que o homem chegou”, destacou Carlos.