Início Mais de 800 pessoas já prestigiaram a exposição sobre Ettore Marangoni        Votorantim, 12 de dezembro de 2018  -   15:23:31                                 
Mais de 800 pessoas já prestigiaram a exposição sobre Ettore Marangoni PDF Imprimir E-mail
Ter, 16 de Dezembro de 2014 10:42

Em menos de duas semanas, a Exposição “Marangoni – Registros de Votorantim e Outras Histórias”, realizada no Espaço Aquário Cultura “Claudir Calixto Mainardi”, em Votorantim, já recebeu mais de oitocentos visitantes. A mostra faz parte da programação alusiva ao 51º Aniversário de Emancipação Político Administrativa do Município e foi aberta solenemente no dia 02 de dezembro. O Aquário Cultura fica ao lado da Praça de Eventos “Lecy de Campos”, no Centro e a exposição pode ser conferida até dia 23 de dezembro, de segunda a domingo, das 12h às 22h, com entrada gratuita.

 

A realização é da Prefeitura de Votorantim, por meio da Secretaria da Cultura, Turismo e Lazer (Sectur). Além de restaurar obras do artista que fazem parte do acervo municipal, a equipe da secretaria selecionou telas e estudos gráficos do pintor para apresentar aos visitantes a riqueza de sua obra, técnicas utilizadas, quadros emblemáticos em sua carreira e as telas especialmente dedicadas a Votorantim que representam importantes registros históricos e culturais do município.

 

Ettore Marangoni (1.907 – 1.992) nasceu na Suíça, veio para ao Brasil com 8 anos e aos 12 passou a residir em Votorantim, onde chegou a trabalhar com fotogravuras para os tecidos da Companhia Nacional de Estamparia. Sua obra é reconhecida e premiada, tendo forte ligação com a identidade da região e potencial de preservar a memória e a história.

 

Recuperação do acervo

 

A exposição apresenta pela primeira vez as 21 telas de Marangoni que fazem parte do acervo do Museu Histórico Municipal após restauração realizada pela Secretaria da Cultura. As obras foram adquiridas do próprio artista, no ano de 1988, com o objetivo de proteger e manter unido o conjunto de pinturas dedicado por ele à cidade, conforme destaca o prefeito Erinaldo Alves da Silva, que também era o chefe do Executivo na ocasião. “Procuramos garantir que esses trabalhos não se espalhassem, proporcionando que a cidade tivesse preservados seus registros de elevado valor histórico”, explica o prefeito.

 

Durante uma catalogação e inventário do acervo do museu, feita no ano passado, peças desta coleção foram encontradas com molduras carunchadas, algumas com rachaduras na tela e outros problemas de conservação que colocavam em risco a manutenção do patrimônio. Foi feita uma restauração completa dos 21 quadros por empresa especializada que realizou a padronização das molduras em estilo clássico e madeira tratada, troca da estrutura de apoio (chassi) e identificação das obras quanto à técnica utilizada e estilo artístico.

 

Para a exposição, a família de Marangoni foi procurada e colaborou emprestando cinco quadros importantes na história do pintor e também 21 estudos gráficos. Os desenhos eram feitos a lápis ou bico de pena e funcionavam como um esboço antes de transformar a ideia em quadro. Alguns desses estudos são correspondentes às obras que retratam Votorantim.

 

 

 

Obras de Votorantim em destaque

 

Entre os destaques da exposição, estão as telas que reproduzem, na visão de Marangoni, momentos históricos da cidade como a “Primeira Missa de Votorantim”, pintada em 1973 em referência à celebração que ocorreu em 1917, e “Dom Pedro II Visita a Cachoeira da Chave”, acontecimento do ano de 1886 que originou a tela em 1991, um ano antes do falecimento do pintor.

 

Outra peça que chama a atenção e tem um valor histórico proporcional à sua exuberância é o quadro intitulado “Desmembramento” que tem 3,8 metros de largura e registra a linha do tempo desde o período colonial até a separação de Votorantim da cidade de Sorocaba, em 1963. A pintura data de 1.969.

 

Há, também, quadros e estudos sobre Santa Helena, Capela da Penha, Cachoeira da Chave, Bairro Barra Funda, Capela Coração de Jesus, Capela do Pópulo, entre várias outras. O “1º Matadouro de Votorantim”, registro de 1.917, pintado em 1.989, possui as duas peças, tanto o estudo, com o primeiro desenho, quanto a tela. A obra mostra os bois no cercado, sendo observados pelos trabalhadores e também por urubus.