Início Programa reúne moradoras para estimular o fortalecimento de vínculos familiares e comunitários        Votorantim, 12 de agosto de 2020  -   14:55:54                                 
Programa reúne moradoras para estimular o fortalecimento de vínculos familiares e comunitários PDF Imprimir E-mail
Qui, 24 de Abril de 2014 12:04

 

 Discutir e refletir sobre temas como valores, respeito em família, a importância da presença e da participação dos pais nas tarefas e no estabelecimento de limites e no sentimento de segurança para os filhos estão entre os objetivos do programa “Mulheres em Ação”, desenvolvimento a partir deste mês de abril pela Secretaria da Cidadania e Geração de Renda (Seci) de Votorantim na região do Jardim Novo Mundo. A primeira edição, realizada esta semana, teve mais de duzentas participantes e os encontros vão se repetir mensalmente com a proposta de estimular vínculos familiares e comunitários.

 

As atividades são desenvolvidas por meio do Centro de Referência em Assistência Social (Cras) localizado no Jardim Novo Mundo e cuja área de abrangência inclui ainda os bairros Jardim Primavera, Green Valley e Jardim Tatiana, totalizando cerca de três mil famílias. Para facilitar a participação das mulheres, além dos encontros no próprio Cras, haverá um segundo grupo para moradoras no Jardim Tatiana. A primeira reunião desta área será na sexta-feira, dia 25, das 13h30 às 15h, na Comunidade Deus Presente, localizada na Rua Três, n° 60. O “Mulheres em Ação” é voltado especialmente para mulheres beneficiadas por programas sociais como o Bolsa Família, mas está aberto a todas as interessadas.

 

A assistente social Ana Maria Gomes Gonçalves, que é coordenadora do Cras Novo Mundo é a responsável pelo programa. Na reunião de abertura, nesta terça-feira, dia 22, ela abordou a formação das famílias e a participação dos pais na vida dos filhos, destacando a importância da presença e o suporte emocional que os pais exercem desde os primeiros anos das crianças, refletindo na convivência e no vínculo familiar até a vida adulta.

 

Falamos também sobre a necessidade de reforçar as atitudes positivas das crianças e não apenas corrigir quando erram e até sobre a questão da violência e como tem influenciado nas relações familiares”, acrescentou Ana. Segundo a coordenadora, os grupos também abordarão necessidades da comunidade e que podem inteferir ou contribuir para o fortalecimento dos vínculos e melhorias na autoestima e na qualidade de vida das famílias.